"Cuidar do corpo” parece uma futilidade para você?

A crença de que o cuidado físico seria uma mera expressão de vaidade e busca por um padrão de beleza pode ser tentadora e extremamente perigosa.



Nossa mente tende a enxergar dualidades em tudo ao nosso redor - ou é quente ou é frio, bonito ou feio, bom ou ruim - e, se não estivermos plenamente conscientes, isso pode tomar proporções até preconceituosas, como achar que alguém muito espiritualizado não deve se preocupar com o corpo físico, ou que uma pessoa que cuida de si mesma é egoísta e não faz nada por ninguém.


Quando nos vemos atoladas de tarefas no trabalho, tentando encontrar paz interior e sentido na vida, trabalhando autoconhecimento e relações interpessoais, e ainda se empenhando em preservar o meio ambiente e ter um posicionamento político minimamente responsável, aderir a esse tipo de crença limitante pode ser bem convidativo. Cuidar do corpo num contexto de demandas tão importantes como essas pode ficar como a última de nossas prioridades, certo?!


Errado.


Não há trabalho, paz, sentido, autoconhecimento, relações e nem nada para ser feito na política e na natureza se não houver um corpo, com uma vida pulsando dentro dele. Parece óbvio, mas todas nós já esquecemos disso um dia.



Nosso corpo tem pulmões que precisam de uma boa capacidade respiratória, veias e artérias que precisam estar limpas para o sangue fluir livremente, tem ossos que precisam ser fortes para nos sustentar, músculos que precisam estar em plena capacidade de contração e alongamento... Nosso corpo tem TANTO que chega a ser irresponsável reduzi-lo a uma questão estética. Precisamos de movimento, tanto quanto de ar e comida. E a qualidade de todos estes afeta nossa saúde, nossa produtividade e toda nossa vida, diretamente.


Cuidar da mente e do espírito é necessário e extremamente valoroso, mas é preciso entender que cuidar do físico não é, nem nunca foi, uma via oposta a isso. Somos um: corpo, mente e espírito. E estamos verdadeiramente saudáveis quando cuidamos de nós por inteiro, quando evoluímos sincronicamente.

É isso que o Yoga vem nos lembrar no dia-a-dia, ensinando filosofia, movimento, respiração e posicionamento. Ensinando o autocuidado integral que se expande para todo o planeta.


Por isso, não tenha vergonha de cuidar do seu corpo. Trabalhe seu padrão respiratório, exercite-se, nutra seu corpo com carinho. Os padrões estéticos mudam com as gerações, o conceito de beleza é particular a cada olhar: cada um tem sua forma, cor e tamanho só seus. O estético é efêmero, mas o palpável é seu lar, é você, é seu toque de vida aqui na Terra.


Não negligencie uma parte de você pela outra, se honre em toda sua completude.


Namastê.


PS.: Se precisar de uma ajudinha para dar o primeiro passo, corre na aba dos Serviços e escolhe a melhor forma de incluir o yoga com responsabilidade na sua vida ainda hoje!

9 views0 comments

Recent Posts

See All